Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/lazaro/public_html/includes/head.php:5) in /home/lazaro/public_html/noticiasinternas.php on line 32

Fale Conosco

Notícias

Fenômeno astronômico raro acontecerá ao longo deste mês




Observar o céu ficou ainda mais interessante desde a quinta-feira desta semana. Isso porque, os cinco planetas visíveis a partir da Terra – Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno – poderão ser vistos ao mesmo tempo sem a necessidade de um telescópio. Assim, basta olhar o céu para ver os corpos celestes alinhados.

Apesar dos planetas já terem se alinhado uma vez no início desse ano, o evento não é comum. Aliás, você terá a oportunidade de observá-los juntos novamente apenas em outubro de 2018, segundo Alan Duffy, professor da Universidade de Swinburne.

Além disso, “o sistema solar é plano como um velho disco de vinil com os planetas se deslocando ao longo de suas faixas”, explica Duffy. Desse modo, cada planeta tem um ciclo anual diferente, o que torna o alinhamento ainda mais especial.

Os cinco planetas poderão ser vistos a olho nu durante o pôr-do-sol. No entanto, alguns são mais fáceis de encontrar do que outros. Vênus, por exemplo, é o mais brilhante, seguido por Júpiter. Por isso, ambos podem ser vistos quando o sol está quase escondido.

Saturno e Marte também podem ser avistados facilmente devido às cores peculiares (amarelado e avermelhado, respectivamente). O único que pode dar algum trabalho para enxergar é Mercúrio, já que é muito pequeno. 

Você pode ver o alinhamento durante todo o mês de agosto. Porém, o professor recomenda o dia 18 de agosto, pois a Lua estará cheia e sua luminosidade irá enfraquecer o brilho dos planetas mais distantes. O local de observação precisa ser plano, alto e não ter prédios ao redor.

Para Duffy, o evento prova a imensidão do universo. “É um lembrete do tamanho do sistema solar o fato desses planetas gigantes se estenderem por distâncias enormes e parecerem apenas luz

es delicadas 'amarradas' no céu para nós.”

Foto: REUTERS/Fred Thornhill

Fonte: Exame


Comentarios

ESPAÇO DO ALUNO